Fidel es Fidel

Exposição sobre o líder cubano ocupa a galeria Acervo da CAL, no final de julho

Em 1984, o fotógrafo Roberto Chile começou a acompanhar o presidente cubano, Fidel Castro, em sua caminhada política. Durante 25 anos ele ficou ao lado do líder da Revolução Cubana, que governou  o país durante 49 anos. Além de registrar os inúmeros momentos da trajetória do ex-presidente, morto em 25 de novembro de 2016, Chile também produziu inúmeros documentários  e reportagens  sobre a cultura e atualidades do seu país.

Apesar de todos esses anos ao lado de Fidel Castro, o fotógrafo, que nasceu em Havana, em 1954, só resolveu juntar  em exposição as imagens, que ocuparam as páginas dos jornais do mundo inteiro durante anos, em 2015.  A mostra “Fidel es Fidel” celebrou os 88 anos do  líder máximo e guia ideológico da revolução e estreou no Memorial José Martí,  na capital cubana, e esteve em Santiago de Cuba, Berlim, Viena, Luanda e Olinda (PE), entre outras cidades.  Em 26 de julho a exposição volta, novamente, ao Brasil, para ocupar a galeria Acervo da Casa da Cultura da América Latina da UnB (CAL), em Brasília, onde permanece até 13 de agosto deste ano.



Uma parceria da CAL/UnB com a Embaixada de Cuba no Brasil,   “Fidel es Fidel” reúne 17 fotos ( P&B e em cores), uma pintura e um vídeo. Um dos destaques é a foto “La estrella de Fidel”, que mostra a famosa boina do revolucionário e a estrela vermelha – parte integrante da bandeira de Cuba. Uma mostra de filmes cubanos completa o evento.

Conhecido  como “El fotógrafo de Fidel” , Roberto Chile é tido como um verdadeiro artista da imagem. Ele documentou  importantes momentos da história do seu país como o chamado “ El regresso del niño Elián González”,  o garoto de cinco anos  que, em novembro de 1999, saiu de Cuba com a mãe em um barco que naufragou a caminho da Flórida.   A mãe faleceu e o garoto foi recolhido por pescadores, depois de três dias no mar.  Levado para a casa de uma prima, em Miami, que resolveu ficar com ele, logo, o pai de Elián, que morava em Cuba, quis  o filho  de volta. O resultado da disputa judicial entre os parentes do menino, que moram  na ilha caribenha e os que vivem nos  EUA, se transformou numa das maiores disputas diplomáticas já travadas entre dois governos. Apesar da resistência dos parentes dos EUA, o menino foi devolvido ao seu país de origem.

Nas ladeiras do Himalaia, Nos meus olhos brilha você, Elogio da virtude, Simplesmente Korda  e Ode à Revolução são alguns dos trabalhos produzidos por Chile, na sua brilhante e intensa carreira profissional.

 Serviço

Exposição  “Fidel es Fidel”
Abertura: 26 de julho (quarta-feira), às 19h
Visitação: até 13 de agosto, das 9h às 20h, todos os dias
Galeria Acervo  da CAL (2º andar), SCS Qd 4, Edf. Anápolis. Telefones: 3107.7963, 7964
Entrada franca
Classificação: livre

Brasília, 24 de julho de 2017