Acervo da CAL

Oscar Niemeyer

O arquiteto é destaque do espaço Acervo da CAL

A consequência de sua habilidade como artista fez com que Oscar Niemeyer participasse de inúmeras exposições individuais e coletivas. Numa dessas mostras - O Papel da Não Violência, realizada em 1991, em Brasília, durante o seminário Indignação Maior que o Medo, Violência Não! -, o arquiteto doou uma serigrafia à Casa da Cultura da América Latina.

Sobre o arquiteto

Oscar Niemeyer nasceu em 15 de dezembro de 1907,  no bairro de Laranjeiras no Rio de Janeiro. Em 1928 casou com Anita Baldo, filha de imigrantes italianos. Em 1929 entrou para a Escola Nacional de Belas Artes (RJ), onde se formou como  engenheiro arquiteto, e, em 1934, iniciou na profissão como estagiário no escritório de Lúcio Costa e Carlos Leão. Em 1936, foi designado para colaborar com o arquiteto suíço, Le Corbusier, que estava participando do projeto do Ministério da Educação na capital  fluminense.

Em 1940, teve a oportunidade de conhecer Juscelino Kubitschek,  à época prefeito de Belo Horizonte, que o convidou para realizar seu primeiro grande projeto: o Conjunto da Pampulha, formado por um Cassino, a Casa de Baile, o Clube e a Igreja de São Francisco de Assis, conhecida por Igreja da Pampulha.

Em 1947, participou do Comitê Internacional de Arquitetos que projetou a Sede das Nações Unidas em Nova Iorque. Em 1956 recebe de Juscelino Kubitschek,  então presidente da República, convite para projetar Brasília, a nova capital do Brasil, inaugurada a 21 de abril de 1960. Estão entre as obras projetadas, na Capital: o Palácio da Alvorada, o Palácio do Planalto, o Itamaraty, o Congresso Nacional, a Catedral, a Praça dos Três Poderes, o Superior Tribunal Federal e o Teatro Nacional.

Com o golpe militar de 1964, o arquiteto se exilou na França. Em 1968, seis anos após a independência da Argélia, o presidente, Houari Boumediene pediu que Niemeyer, então exilado em Paris, fizesse obras para transformar o país em uma nação moderna e aberta ao mundo. São   dele  os projetos da Universidade Mentouri, Constantine (1971), Universidade de Ciência e Tecnologia Houari-Boumediene, Argel, (1975), a Escola Politécnica de Arquitetura e Urbanismo, Argel (1975) e a Sala Omnisport La "cúpula", Argel (1975).

De volta  ao Brasil, em 1979, projetou monumentos importantes como os prédios dos Centro Integrado de Educação Pública (Cieps); o Sambódromo carioca; o Museu de Arte Contemporânea, em estilo futurista, inaugurado em 1991, em Niterói e o Setor Cultural de Brasília (que inclui o Museu Nacional da República e a Biblioteca Nacional), entre muitos outros. Em 1996, recebeu o Prêmio Leão de Ouro da Bienal de Veneza e, em 1999, inaugurou o Museu Oscar Niemeyer, em Curitiba

Considerado um dos maiores representantes da arquitetura moderna da História, Oscar Niemeyer Ribeiro Soares Filho faleceu no Hospital Samaritano  no Rio de Janeiro em 5 de dezembro de 2012, deixando mais de 600 projetos espalhados pelo pelo mundo.

Fonte: eBiografia e Acervo da CAL


Artista: Oscar Niemeyer
Sem título/Sem data
Técnica: Serigrafia
Dimensão:
(31 A x 31 L) comp.       
(57 A x 58,5 L) pst         
(60 A x 62 L) c/ mold.

 

Brasília, 30 de agosto de 2017