Diversidade sexual

CineCAL exibe, em junho, filmes que tratam do universo LGBT

Paralela à exposição É Tudo Nosso, que entra em cartaz nas galerias da CAL a partir de 13 de junho e tem como tema o universo LGBT, o CineCAL realiza, de 12 a 30 de junho, a I Mostra Cinematográfica da Diversidade Sexual. Com curadoria de Sandro Lobo, os oito filmes realizados por diretores dos mais diversos países retratando ficções e realidades do mundo gay, lésbico e transexual, serão exibidos às segundas, quartas e sextas, às 19h, na CAL.

    


Programação

Dia 12 de junho (segunda-feira)
Morango e chocolate (Cuba).Direção de Tomás Gutiérrez Alea e Juan Carlos Tabío, 1994, 1h48. A história da amizade de um estudante cubano que acredita firmemente no regime de Fidel Castro e um artista homossexual que luta contra a discriminação. Classificação indicativa: 14 anos  

Dia 14 de junho (quarta-feira)
Tangerine (EUA). Direção de Sean Baker, 2013, 1h28. Assim que sai da prisão, uma prostituta transexual descobre através de sua melhor amiga que seu namorado está saindo com outra pessoa, uma mulher cisgênero. Ela decide encontrar os dois e puni-los pela traição. Classificação indicativa: 14 anos

Dia 19 de junho (segunda-feira)
Transamerica (EUA). Direção de Duncan Tucker, 2005, 1h50. Uma transexual está prestes a  ser operado(a) e transformar-se definitivamente na mulher que sempre desejou ser. Mas, um pouco antes da cirurgia, ela recebe um telefonema de uma delegacia nova-iorquina e fica sabendo que tem um filho adolescente. Classificação indicativa: 14 anos

Dia 21 de junho (quarta-feira)
Tirésia (França/Canadá). Direção de Bertrand Bonello, 2003, 1h45.  Um padre trancafia um travesti em uma fazenda distante e, à medida que fica sem os hormônios, vai voltando à forma masculina. Num momento de ira, ele cega o rapaz, que desenvolve poderes mediúnicos e torna-se uma celebridade local. Classificação indicativa: 14 anos

Dia 23 de junho ( sexta-feira)
Lado Selvagem (França / Bélgica / Reino Unido). Direção de  Sébastien Lifshitz, 2004, 1h43. Stéphanie, nascida Pierre, vive em Paris e forma um triângulo amoroso com o egípcio Djamel e o russo Mikhail. Quando ela recebe uma ligação do hospital, onde sua mãe está internada em estado terminal, ela reúne seus dois amantes e viaja com eles até o local. No caminho, ela relembra sua infância. Classificação indicativa: 14 anos

Dia 26 de junho (segunda-feira)
Entre os homens de bem (Brasil). Direção de Caio Cavechini e Carlos Juliano Barros, 1h42. Documentário que  expõe um período de três anos na rotina, no âmbito público, de Jean Wyllys, um dos deputados que transitam no Congresso Nacional atualmente. O político, que também é jornalista e professor, luta em favor das minorias, além de ser um dos maiores representantes da causa LGBT. Classificação indicativa: livre

Dia 28 de junho (quarta-feira)
Minha vida em cor de rosa (Bélgica/Reino Unido e França). Direção de Alain Berliner, 1997, 1h28. A história de uma garota transexual que está começando a assumir sua verdadeira identidade perante o mundo. Seu desejo é se casar com o filho de sua vizinha, mas os novos rumos que a garota  dá para sua vida surpreendem sua própria família e os vizinhos, que não conseguem aceitar, de fato, a felicidade, os desejos  de sua real identidade. Classificação indicativa: 14 anos

Dia 30 de junho (sexta-feira)
Dzi Croquettes  (Brasil).Direção de Tatiana Issa  e  Raphael Alvarez, 2010, 1h40. A história dos Dzi Croquettes, um grupo de teatro que, incorporando o espírito da contracultura reinante na época, usava a irreverência para criticar a ditadura. Com homens usando roupas femininas, de forma a mostrar as pernas cabeludas e a barba, ele logo foi um sucesso. Classificação indicativa: livre

Entrada franca
Hora: 19h
Local: Casa da Cultura da América Latina (SCS Qd 4, Edf. Anápolis). Telefone 3321.5811
Realização: CAL/DEX/UnB

Brasília, 9 de junho de 2017